O sargento Wilame Nascimento da Silva, policial militar lotado em Grajaú que foi arrolado no processo que investiga a morte do prefeito de Davinópolis Ivanildo Paiva, admitiu durante o curso das investigações que teria recebido oferta de R$ 100 mil para assassinar a vítima.

Segundo ele, o mecânico José Denilton Feitosa Guimarães, o Boca Rica, quem teria oferecido a quantia. Ivanildo Paiva Barbosa foi morto a tiros; cinco pessoas já estão presas por envolvimento na morte do gestor. Além de Boca Rica e do sargento Wilame, estão presos Francisco de Assis Bezerra Soares, policial militar lotado em Dom Eliseu/PA, o motorista de Uber Douglas da Silva Barbosa e Gean Dearlen dos Santos Neres.

Para a polícia, o mecânico Boca Rica foi o articular do crime. De acordo com o Delegado de Homicídios de Imperatriz, Praxisteles Martins, o caso segue sob sigilo, para não atrapalhar o andamento das investigações.

MA10

by 07:11 0 comentários