RIO — O ator Caio Junqueira morreu nesta quarta-feira, aos 42 anos, após ser vítima de um acidente de carro no Aterro do Flamengo , Zona Sul do Rio, na semana passada. O intérprete do policial Neto do filme "Tropa de elite" (2007) foi levado para o Hospital Miguel Couto. A Secretaria de Saúde do Rio confirmou o falecimento.

Na quarta-feira passada, dia 16, Caio, de 42 anos, dirigia sozinho pelo Aterro do Flamengo, em direção ao Centro da cidade, quando perdeu o controle do carro, que subiu o meio-fio, bateu numa árvore e capotou. Com duas fraturas expostas, seria operado hoje, mas os médicos decidiram esperar um pouco.

Na segunda-feira o quadro de saúde do ator chegou a se estabilizar, mas os médicos esperavam controlar uma febre alta para realizar uma cirurgia na mão dele, que havia sofrido fraturas no acidente. 

Caio era filho do ator Fábio Junqueira (1956/2008) e irmão de Jonas Torres, conhecido como o Bacana da série "Armação ilimitada" (1985/1988). Aos 9 anos, Caio deu os primeiros passos na carreira artística na série "Tamanho família" (1985/1986), da extinta Rede Manchete.

Em 2007, o ator participou do filme 'Tropa de elite', no qual interpretou o aspirante Neto Gouveia Reprodução / DivulgaçãoCaio (à direita) posa ao lado de André Ramiro e Wagner Moura, seus colegas de elenco em 'Tropa de elite', em 2007 Fábio Rossi / Agência O GloboEm 2014, ele viveu um pescador no episódio 'A pesca maravilhosa', da minissérie bíblica da Record 'Milagres de Jesus' Chico Rasta / DivulgaçãoEm 2013, o ator participou da minissérie 'José do Egito', da Record Divulgação / RecordCom Bianca Rinaldi durante a divulgação da novela da Record 'Ribeirão do tempo', em 2010 Pablo Jacob / Extra / Agência O Globo
PULAR 
Caio Junqueira como Gaspar em 'Desejo proibido', de 2007 João Miguel Júnior / TV GloboEm 2009, no seriado 'A lei e o crime', o ator interpretou o personagem Romero Munir Chatack / Record O ator posa para O GLOBO durante a turnê de divulgação de 'Tropa de Elite', em 2007 Hudson Pontes / Agência O Globo Ao lado de Rocco Pitanga no filme 'Seja o que Deus quiser!', de 2003 Ching C. Wang / DivulgaçãoO ator em sua casa no Leblon, em reportagem do GLOBO de 2001 Luís Alvarenga / Agência O Globo
PULAR 
O ator caracterizado como seu personagem em 'Um anjo que caiu do céu', novela de 2001 Cristiana Isidoro / DivulgaçãoEm 1998, ao lado da atriz Cássia Linhares, durante gravação da novelinha 'Malhação' Carlos Ivan / Agência O GloboAo lado de Marcos Palmeira, o ator calvagou pela Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para divulgar o filme 'Buena sorte'. Os dois estrelaram juntos o longa-metragem de Tânia Lamarca em 1997 Sergio Marques / Agência O GloboCaio posa ao lado do também ator Jonas Torres em 1997. Os dois são bisnetos do poeta Jorge de Lima e participaram de leituras em homenagem ao escritor Camilla Maia / Agência O Globo

O gosto pela profissão revelado na infância se consolidou na adolescência quando o ator estreou na Globo, em 1990. Neste ano, emendou dois trabalhos na emissora: a minissérie "Desejo" e a novela "Barriga de aluguel". Quatro anos depois, fez sua segunda novela, "A viagem", seguida pelas séries "Engraçadinha" (1995), "Hilda Furacão" (1998) e "Chiquinha Gonzaga" (1999).

Na década seguinte, Caio também fez vários trabalhos na Globo, entre eles a novela "O clone" (2001) e a minissérie "Um só coração" (2004). Um ano depois, o ator fez o remake de "Escrava Isaura", na Record TV, onde protagonizou "Ribeirão do tempo" (2010) e atuou em obras bíblicas como "José do Egito" (2013) e "Milagres de Jesus" (2014).

O cinema também ocupou espaço de destaque na trajetória profissional de Caio. O ator atuou em grandes sucessos nacionais, entre eles "O que é isso companheiro" (1997), "Central do Brasil" (1998), "Abril despedaçado" (2001), "Zuzu Angel" (2006) e "Tropa de elite" (2007). As peças de teatro "Os justos" (2005) e "Hamlet" (2008) também estão no currículo de Caio.

Fonte: O Globo

by 10:56 0 comentários